Produtor de bbb zumbi com sabrina sato detona o país: ‘já estamos no apocalipse’

Compartilhe no WhatsApp

REALITY Z

O produtor Cláudio Torres, Sabrina Sato e Ted Sarandos, chefe de Conteúdo da Netflix: trio de peso

Escalado pela Netflix para conduzir a adaptação da minissérie Dead Set (2008), sobre um apocalipse zumbi com participantes do Big Brother, o produtor Cláudio Torres aproveitou a chance de fazer uma crítica à situação política do país. “Os brasileiros sabem que nós já estamos no apocalipse, a aparição de zumbis era uma questão de tempo. Bem, a hora chegou”, disse ele, que terá Sabrina Sato como principal chamariz.

O Notícias da TV publicou em primeira mão na segunda-feira (22) que a Netflix prepara uma versão nacional de Dead Set, mas a plataforma de streaming só anunciou a novidade na noite de quarta (24), no Rio2C, maior evento do mercado audiovisual da América Latina. Para se diferenciar da original, a nova série ganhará o título de Reality Z.

Para Torres, sua atração é meio que um herdeiro da original, produzida por Charlie Brooker e Annabel Jones (dupla da premiada Black Mirror), que também vieram ao Brasil para anunciar a novidade durante o Rio2C.

“Dead Set vai ser sempre Dead Set. Acho que Reality Z é meio que um filho distante, que cresceu em uma terra estranha chamada Brasil. Acho que estamos conectados por esse senso de humor estranho”, explicou o produtor da Conspiração Filmes.

Fã, mas nem tanto
Torres declarou ser fã da dupla Brooker e Annabel, mas admitiu que, quando recebeu o convite da Netflix para adaptar Dead Set, foi pego de surpresa. “Eu nunca tinha ouvido falar da minissérie. Depois que vi, voltei para a Netflix e perguntei: ‘Por que vocês querem refazer isso? Ela é perfeita, é um risco muito grande refazer'”, contou.

Mas a plataforma insistiu na adaptação, e seus executivos questionaram se Cláudio Torres teria alguma maneira de dar sequência à história original. “Eu menti, disse que sim (risos). E aí continuei mentindo, fui propondo algumas coisas, e eles amaram. Depois, Charlie e Annabel nos deram sua bênção e liberdade completa para criar, o que eu achei muito generoso da parte deles”, elogiou.

Para Annabel, o universo de Dead Set é ainda mais atual agora do que era quando foi exibida no Reino Unido, em 2008. “É uma série que trata de voyeurismo, fama, da auto-obsessão… Mas nós fizemos isso há 11 anos, antes mesmo da palavra ‘selfie’ existir. Então, eu acho que ela é muito relevante”, disse a produtora.

A adaptação, além de trocar os cenários frios da Inglaterra pelo Brasil –algo que Torres definiu como “uma Black Mirror tropical” –, também terá de fazer algumas concessões. Por exemplo, todas as referências ao Big Brother serão cortadas, já que no Brasil os direitos do reality estão com a Globo. Em Reality Z, Sabrina Sato será a apresentadora de Olimpo, a Casa dos Deuses, gravado no Rio de Janeiro.

Além de Sabrina, o elenco conta com Guilherme Weber, Ana Hartmann, Emilio de Mello, Carla Ribas, Luellem de Castro, Ravel Andrade e Jesus Luz. Reality Z está em processo de gravação e será lançada no ano que vem em todo o mundo.

Davina McCall morre em cena de Dead Set: ela fez o papel que será de Sabrina Sato na Netflix

Zumbis e confinamento
Dead Set é é um drama catástrofe de cinco episódios com muito sangue e tripas e que já sinalizava muitos dos elementos usados por Brooker em Black Mirror, como a crítica à tecnologia e à sociedade do consumo e o terror com pegada cômica.

A personagem principal da minissérie é Kelly (Jaime Winstone), uma assistente de produção do Big Brother que sonha em ter um cargo maior na equipe do reality, mas é vista apenas como a profissional que busca café para os chefes.

Tudo muda em uma noite de eliminação, quando começa o apocalipse zumbi e a casa onde os brothers são confinados se torna o lugar mais seguro do planeta. Depois de ver boa parte de seus colegas ser morta, Kelly entra no reality e precisa convencer os participantes, totalmente alheios ao que acontece lá fora, de que ela não é uma infiltrada pela produção –e que os zumbis não são uma prova do líder.

A versão original britânica explorou ao máximo o tema Big Brother. Como o E4, canal da minissérie, é do mesmo grupo do Channel 4, que exibia o reality na época, a equipe pode aproveitar parte dos cenários. Participantes de edições anteriores do reality também fizeram pontas na atração.

Até a apresentadora do BB, Davina McCall, foi escalada para comandar a versão fictícia –o papel dela passará para Sabrina no remake brasileiro da Netflix. Davina é transformada em zumbi logo no primeiro episódio, mas não some da trama: ela continua atormentando o produtor Patrick (Andy Nyman) e a eliminada Pippa (Kathleen McDermott) no decorrer dos capítulos.