Relatório da variety revela em detalhes próximos passos com os filmes da dc.

Compartilhe no WhatsApp

Relatório da Variety revela em detalhes próximos com os filmes da DC.

Um extenso relatório da Variety publicado na manhã desta terça-feira (26) revela em detalhes os próximos passos da Warner Bros. com os filmes e propriedades da DC.

O site destaca que a DC Films finalmente se recuperou dos problemas de crítica sofridos por Batman vs Superman e o desastre comercial de Liga da Justiça, com os sucessos acima de US$ 1 bilhão conquistados por Aquaman e Coringa, mas que o estúdio ainda está estudando as melhores maneiras de se trabalhar com personagens icônicos como Superman e Batman – este último, inclusive, reimaginado com o ator Robert Pattinson no papel principal em The Batman.

Ainda em relação ao Superman, a Warner ainda não sabe exatamente o que fazer com ele pelas recentes reimaginações do personagem, e que algumas reuniões já aconteceram com o diretor J.J. Abrams, mas sem nada concretizado. No início do ano, o ator Michael B. Jordan (Creed) também foi procurado para discutir uma nova abordagem do Superman, mas que a agenda de compromissos de Jordan impossibilita qualquer novo projeto, ainda mais um desta magnitude. Desta forma, é bastante pouco provável que um novo longa do Superman chegue às telas antes de 2023.

O relatório aponta que parte dos antigos executivos da DC, Jon Berg, Geoff Johns e a chefe da DC Entertainment, Diane Nelson, tomavam muitas decisões em postos que não eram de suas responsabilidades, o que levava à falta de uma visão clara, e que a Warner Bros. errou ao apressar a produção de filmes sem que o roteiro de muitos estivessem finalizados. Walter Hamada (da franquia Invocação do Mal), contratado no começo de 2018, é o atual novo líder da DC Films, atuando ao lado do presidente da Warner Bros., Tobb Emmerich.

Sob Hamada e Emmerich, o estúdio ficou mais confortável para a produção de filmes para maiores, sendo Coringa o primeiro com classificação R, mas que não será o último. Aves de Rapina e o próximo Esquadrão Suicida também terão classificação R. No caso de Aves de Rapina, o filme não terá o mesmo estilo que Coringa, mas seu conteúdo certamente não é destinado a crianças. O estúdio está extremamente confiante que o longa será um enorme sucesso.

Especialistas acreditam que este será um forte diferencial da DC em relação a Marvel, uma vez que a Disney não mostra uma posição tão clara com a compra da Fox para seguir produzindo filmes ao estilo Deadpool e Logan, optando por projetos “mais leves”. “Existe um grande apetite por filmes de super-heróis classificados como R e, se a Marvel não for promovida, isso representa uma abertura para a DC aproveitar esse público”, disse Jeff Bock, analista da Exhibitor Relations.

O relatório revela ainda que a Warner procura revitalizar personagens que não funcionaram tão bem no passado, como o Lanterna Verde, com roteiro a ser finalizado por Geoff Johns nas próximas semanas, e consequentemente entregue ao estúdio. J.J. Abrams é o principal cotado para assumir o projeto. Projetos como Batgirl e A Trincheira (derivado de terror de Aquaman) seguem sendo produzidos.

As filmagens de Aquaman 2 começará no início de 2021 e The Flash, que manterá Ezra Miller no papel principal sob a direção de Andy Muschietti (IT), só começará a ser filmado quando Miller finalizar seus trabalhos no próximo Animais Fantásticos. Em relação ao HBO Max, filmes da DC realmente serão produzidos, com orçamentos cada um até US$ 65 milhões.

Por fim, o site destaca que embora as movimentações em torno do “Snyder Cut” tenham atingido níveis impressionantes, não existe, definitivamente, qualquer interesse do estúdio em lança-lo, seja nos cinemas ou HBO Max, pela necessidade se gastar milhares de dólares. “Isso é um sonho. Nada, absolutamente nada está acontecendo”.