Éramos seis, alfredo vira o jogo e conquista o público

Compartilhe no WhatsApp

Alfredo ganhou a torcida do público, segundo ator que o interpreta em Éramos Seis, Nicolas Prattes
Alfredo ganhou a torcida do público, segundo ator que o interpreta em Éramos Seis, Nicolas Prattes

Em todas as versões de Éramos Seis, o personagem Alfredo sempre foi a ovelha negra da família, o filho-problema de Lola. Agora, no entanto, o jovem tem conquistado apoio e empatia do público. Nicolas Prattes, que interpreta Alfredo, diz que recebe mensagens de incentivo das pessoas. “Eu me surpreendo em ver a repercussão, as pessoas estão torcendo por ele nas ruas”, afirma o ator de 22 anos.

Prattes escolheu fazer o papel de Alfredo; na verdade insistiu para pegá-lo. Inicialmente, ele havia sido escalado para viver o mocinho Carlos, mas queria mudar de ares e ter um personagem mais errado, fazer um vilão, para variar. O primogênio bom-moço ficou com Danilo Mesquita.

Agora, no entanto, o discurso do intérprete mudou um pouco. Prattes não considera seu Alfredo um vilão. Acha que o personagem tem recebido a simpatia do público porque é um rapaz como tantos outros, que não concordam com as regras e têm falhas muito humanas.

“Ele erra tentando acertar, acerta quando acha que está errando. Não se encaixa no papel que seu pai tinha planejado para sua vida. O Alfredo tem essa necessidade da liberdade, de não dever satisfações, fazer suas escolhas e aguentar as consequências. Todo mundo conhece alguém como o Alfredo. Não acho justo julgá-lo. Cada um sabe a razão das escolhas que faz”, defende.

Prattes conta que releu o livro no qual a novela é baseada e assistiu a cenas de seu personagem nas versões anteriores. “Não para fazer igual, pelo contrário, para ter a chance de criar minha própria versão do Alfredo”, explica.

A versão dele vai aprontar nos próximos capítulos: Alfredo terá uma briga feia com o irmão mais velho por causa de Inês (Carol Macedo) e continuará num romance quente e proibido com Adelaide (Joana de Verona).

Mas o ator continua ao lado de seu personagem encrenqueiro e espera que ele acha um rumo na trama. “Eu torceria para que toda a energia que ele tem seja voltada para algo produtivo. Mesmo as pessoas que têm dificuldade de se encaixar nos padrões da sociedade podem produzir coisas magníficas. Eu acredito nesse potencial do Alfredo. Tem o que precisa para construir uma vida que lhe dê orgulho”, acredita.