Fly, o pequeno guerreiro ganha remake em 2020

Compartilhe no WhatsApp

Fly, o Pequeno Guerreiro ganha remake em 2020

Foi revelado hoje durante a JUMP FESTA 2020 que um remake de Dragon Quest: The Adventure of Dai, mais conhecido no Brasil como Fly, o Pequeno Guerreiro, está em produção.

A nova animação tem estreia agendada para outubro de 2020 e adapta o mangá que foi publicado nas páginas da Shonen Jump entre 1989 e 1996, no Japão. A obra original conta com roteiros de Riku Sanjo e arte de Kouji Inada, foi inspirada pela famosa franquia de games Dragon Quest e foi finalizada com 37 volumes encadernados.

O mangá já havia ganhado uma adaptação em anime que fez muito sucesso no Brasil nos anos 1990, exibido aos sábados no SBT, Fly, o Pequeno Guerreiro contou com 46 episódios e não adaptou o mangá por completo.

Vídeo Promocional

Sinopse:

A história começa com um garoto de 12 anos chamado Dai lembrando-se de uma história contada a ele por seu avô adotivo, o mago monstro Brass, sobre a derrota do Rei Demônio Hadlar pelas mãos de um herói conhecido como Avan. Após a derrota do Rei Demônio Hadlar, todos os monstros foram libertados de sua vontade maligna e a paz reinou em todo o mundo novamente por dez anos. Alguns monstros e demônios se mudaram para a ilha de Dermline para viver em paz. Dai, o jovem protagonista da série, é o único humano que vive na ilha. Tendo sido criado por Brass e com seu melhor amigo, o monstro Gome, Dai cresce sonhando em se tornar um herói.

A verdadeira história começa quando Avan, um instrutor de heróis, vai à ilha para ensinar Dai, a pedido de Leona, uma princesa que foi salva anteriormente pelo menino. Avan oferece a Dai uma semana inteira de treinamento que o tornaria um herói. Logo depois de aprender a segunda das três técnicas de espada secreta de Avan, o treinamento de Dai é interrompido pelo retorno de Hadlar. Hadlar anuncia a Avan que ele estava a serviço de um ser maligno ainda mais poderoso, o Grande Rei Demônio Vearn, que o ressuscitou. Enfraquecido pelos feitiços que ele usou para ajudar Dai em seu treinamento, Avan confronta Hadlar. Para proteger seus alunos e destruir Hadlar ao mesmo tempo, ele lança um feitiço de autossacrifício. O feitiço não destrói o Rei Demônio como Avan havia planejado, e Dai, Pop, Brass e Gome são deixados para se defenderem sozinhos. Apenas o despertar de um poder oculto dentro de Dai, simbolizado pelo aparecimento de uma marca estranha em sua testa, os leva a derrotar Hadlar e fazê-lo fugir. Dai decide deixar a ilha com Pop para vingar Avan e derrotar o Rei Demônio e seu mestre para trazer a paz de volta ao mundo.