Éramos seis: chefe podre faz proposta indecente para virgulino tirar o pé da lama

Compartilhe no WhatsApp

Kiko Mascarenhas em cena como Virgulino de Éramos Seis: trabalhador será pressionado a aceitar propina

Kiko Mascarenhas em cena como Virgulino de Éramos Seis: trabalhador será pressionado a aceitar propina

Uma tentação vai tirar o sono de Virgulino (Kiko Mascarenhas) em Éramos Seis. Ele será pressionado por um chefe a aceitar propina para participar de um esquema de corrupção na telefônica. O mau-caráter, aliás, ameaçará demitir o pai de Lúcio (Jhona Burjack) caso ele não aceite fazer parte do conchavo.

Em um primeiro momento, o trabalhador não aceitará se envolver no conluio, mas se sentirá seduzido a aceitar o dinheiro diante das constantes reclamações de Genu (Kelzy Ecard). Com a casa caindo aos pedaços e cheia de goteiras, a vizinha de Lola (Gloria Pires) se queixará que o salário do marido não dá conta de tantos problemas.

Por causa das precárias finanças da família, o empregado chegará atrasado à companhia depois de uma longa discussão com a dona de casa interpretada por Kelzy Ecard. Ele levará um flagrante de seu superior, mas estranhará quando Hilton (Paulo Carvalho) relevar a sua transgressão.

“Bobagem, cinco minutos é atraso? Quisera eu que todos meus funcionários fossem assim. Mas não exagera! Há dias que estava pensando em passar por sua mesa para conversamos”, desconversará o gerente, deixando Virgulino com a pulga atrás da orelha.

O amigo de Afonso (Cássio Gabus Mendes) ficará ainda mais intrigado quando o encarregado chamá-lo para um almoço, forçando uma intimidade que eles nunca tiveram. “Só mais uma coisa. Não comenta com ninguém, por favor. O assunto é confidencial”, exigirá o administrador, cheio de mistérios.

Acordo ilícito

Há mais de 30 anos na empresa, Virgulino sempre se mostrou correto e, por isso, chegou a ser promovido a responsável pelo setor de compras de materiais. O cargo, entretanto, vai colocar toda a sua honestidade à prova nas cenas que serão exibidas a partir deste sábado (11) no remake de Angela Chaves.

O pai de Lili (Triz Pariz) não esconderá o desconforto ao ouvir a oferta do supervisor para ingressar em uma falcatrua. “Me senti encorajado a vir lhe fazer essa proposta irrecusável. Não é coisa oficial, por isso quis lhe falar fora do escritório. E não tem só eu metido no negócio. Tem coisa graúda”, avisará o trambiqueiro.

O patife chegará a colocar a mão no ombro do colega de trabalho para intimidá-lo a cooperar com o plano. “Se o amigo aceitar, vai meter a mão numa bolada. E não precisa nem burlar a lei. Apenas dar uma pequena desviada. Já pensou? Um dinheiro assim, dinheirão mesmo, caindo do céu?”, insistirá o corruptor.

O personagem de Kiko Mascarenhas ficará chocado ao descobrir que o criminoso precisa de sua assinatura para fraudar a compra de cabos para a renovação da rede da telefônica. Ele pretende adquirir cabos de qualidade inferior a um preço superfaturado para embolsar parte do valor.

Disposto a tudo pela rubrica do subalterno, Hilton sugerirá que pode demiti-lo caso não colabore com as suas trapaças. “O amigo tem uma semana para resolver o assunto para nós. É tudo ou nada”, intimidará o patife na novela das seis da Globo.